lunes, 15 de diciembre de 2008

PARA VIVIR UN GRAN AMOR , por Vinicius de Morais.

PARA VIVIR UN GRAN AMOR, de Vinicius de Morais, maestro.

Para vivir un gran amor, se necesita mucha concentración y mucha sensatez, mucha seriedad y y poca risa - para vivir un gran amor.
Para vivir un gran amor, es menester ser un hombre de una sola mujer; pues ser de muchas, ¡vaya! Eso es fácil… - No tiene mérito alguno.
Para vivir un gran amor, primero es preciso consagrarse caballero y entregarse a su dama por entero, no importa cómo sea.
Hay que convertir el cuerpo en una morada donde se encierre a la mujer amada y luego apostarse afuera con una espada- para vivir un gran amor.
Para vivir un gran amor, os cuento, es necesario prestar atención a los “viejos amigos”, que por querer acapararnos, pueden estropear el gran amor. Hay que tener muchísimo cuidado con cualquiera que no esté enamorado, pues quien no lo está, está siempre preparado para fastidiar el gran amor.
Para vivir un gran amor, en realidad, hay que convencerse de que la verdad es que no existe amor sin fidelidad - para vivir un gran amor.
Pues quien traiciona su amor por vanidad es un desconocedor de la libertad, de esa inmensa, indivisible libertad que trae un sólo amor.
Para vivir un gran amor, “il faut”, además de ser fiel, ser un buen conocedor del arte culinario y del judo -para vivir un gran amor.
Para vivir un gran amor perfecto, no basta sólo con ser un buen sujeto; es preciso también tener mucho pecho -pecho de remero. Es preciso mirar siempre a la persona amada como a la primera novia y a su viuda también, amortajada en su amor muerto.
Es muy necesario tener preparado crédito para rosas en el florista - ¡mucho, mucho más que en la modista! - para complacer al gran amor. Pues de lo que el gran amor quiere saber, es de amor, de amor sin medida; después, un tutuzinho com torresno*1 es un punto a favor…
También puntúa saber hacer cositas: huevos revueltos, gambas, sopitas, salsas, strogonoffs*2 - comiditas para después del amor. ¿Y qué hay mejor que ira a la cocina y preparar con amor una gallina con una rica y sabrosa farofinha*3 , para tu gran amor?
Para vivir un gran amor es muy, muy importante vivir siempre juntos y hasta ser, en lo posible,un solo difunto, para no morir de dolor. Es necesario un cuidado permanente, no sólo con el cuerpo sino también con la mente, pues cualquier bajón tuyo, la amada lo siente - y se enfría un poco el amor. Hay que ser muy cortés sin cortesía; dulce y conciliador sin cobardía; saber ganar dinero con poesía - para vivir un gran amor.
Es necesario saber beber whisky, (¡con un mal bebedor nunca se arriesgue!) y ser impermeable al qué dirán, que nada quiere con el amor.
Pero todo esto no sirve de nada, si en esta selva oscura y desorientada no se supiese hallar a la amada -para vivir un gran amor.
Para viver um grande amor.
Para viver um grande amor, preciso é muita concentração e muito siso, muita seriedade e pouco riso — para viver um grande amor.
Para viver um grande amor, mister é ser um homem de uma só mulher; pois ser de muitas, poxa! é de colher… — não tem nenhum valor.
Para viver um grande amor, primeiro é preciso sagrar-se cavalheiro e ser de sua dama por inteiro — seja lá como for. Há que fazer do corpo uma morada onde clausure-se a mulher amada e postar-se de fora com uma espada — para viver um grande amor.
Para viver um grande amor, vos digo, é preciso atenção como o “velho amigo”, que porque é só vos quer sempre consigo para iludir o grande amor. É preciso muitíssimo cuidado com quem quer que não esteja apaixonado, pois quem não está, está sempre preparado pra chatear o grande amor.
Para viver um amor, na realidade, há que compenetrar-se da verdade de que não existe amor sem fidelidade — para viver um grande amor. Pois quem trai seu amor por vanidade é um desconhecedor da liberdade, dessa imensa, indizível liberdade que traz um só amor.
Para viver um grande amor, il faut além de fiel, ser bem conhecedor de arte culinária e de judô — para viver um grande amor.
Para viver um grande amor perfeito, não basta ser apenas bom sujeito; é preciso também ter muito peito — peito de remador. É preciso olhar sempre a bem-amada como a sua primeira namorada e sua viúva também, amortalhada no seu finado amor.
É muito necessário ter em vista um crédito de rosas no florista — muito mais, muito mais que na modista! — para aprazer ao grande amor. Pois do que o grande amor quer saber mesmo, é de amor, é de amor, de amor a esmo; depois, um tutuzinho com torresmo conta ponto a favor…
Conta ponto saber fazer coisinhas: ovos mexidos, camarões, sopinhas, molhos, strogonoffs — comidinhas para depois do amor. E o que há de melhor que ir pra cozinha e preparar com amor uma galinha com uma rica e gostosa farofinha, para o seu grande amor?
Para viver um grande amor é muito, muito importante viver sempre junto e até ser, se possível, um só defunto — pra não morrer de dor. É preciso um cuidado permanente não só com o corpo mas também com a mente, pois qualquer “baixo” seu, a amada sente — e esfria um pouco o amor. Há que ser bem cortês sem cortesia; doce e conciliador sem covardia; saber ganhar dinheiro com poesia — para viver um grande amor.
É preciso saber tomar uísque (com o mau bebedor nunca se arrisque!) e ser impermeável ao diz-que-diz-que — que não quer nada com o amor.
Mas tudo isso não adianta nada, se nesta selva oscura e desvairada não se souber achar a bem-amada — para viver um grande amor.
PARA VIVIR UN GRAN AMOR, de Vinicius de Morais,maestro.
Para vivir un gran amor, se necesita mucha concentración y mucha sensatez, mucha seriedad y y poca risa - para vivir un gran amor.
Para vivir un gran amor, es menester ser un hombre de una sola mujer; pues ser de muchas, ¡vaya! Eso es fácil… - No tiene mérito alguno.
Para vivir un gran amor, primero es preciso consagrarse caballero y entregarse a su dama por entero, no importa cómo sea.
Hay que convertir el cuerpo en una morada donde se encierre a la mujer amada y luego apostarse afuera con una espada- para vivir un gran amor.
Para vivir un gran amor, os cuento, es necesario prestar atención a los “viejos amigos”, que por querer acapararnos, pueden estropear el gran amor. Hay que tener muchísimo cuidado con cualquiera que no esté enamorado, pues quien no lo está, está siempre preparado para fastidiar el gran amor.
Para vivir un gran amor, en realidad, hay que convencerse de que la verdad es que no existe amor sin fidelidad - para vivir un gran amor.
Pues quien traiciona su amor por vanidad es un desconocedor de la libertad, de esa inmensa, indivisible libertad que trae un sólo amor.
Para vivir un gran amor, “il faut”, además de ser fiel, ser un buen conocedor del arte culinario y del judo -para vivir un gran amor.
Para vivir un gran amor perfecto, no basta sólo con ser un buen sujeto; es preciso también tener mucho pecho -pecho de remero. Es preciso mirar siempre a la persona amada como a la primera novia y a su viuda también, amortajada en su amor muerto.
Es muy necesario tener preparado crédito para rosas en el florista - ¡mucho, mucho más que en la modista! - para complacer al gran amor. Pues de lo que el gran amor quiere saber, es de amor, de amor sin medida; después, un tutuzinho com torresno*1 es un punto a favor…
También puntúa saber hacer cositas: huevos revueltos, gambas, sopitas, salsas, strogonoffs*2 - comiditas para después del amor. ¿Y qué hay mejor que ira a la cocina y preparar con amor una gallina con una rica y sabrosa farofinha*3 , para tu gran amor?
Para vivir un gran amor es muy, muy importante vivir siempre juntos y hasta ser, en lo posible,un solo difunto, para no morir de dolor. Es necesario un cuidado permanente, no sólo con el cuerpo sino también con la mente, pues cualquier bajón tuyo, la amada lo siente - y se enfría un poco el amor. Hay que ser muy cortés sin cortesía; dulce y conciliador sin cobardía; saber ganar dinero con poesía - para vivir un gran amor.
Es necesario saber beber whisky, (¡con un mal bebedor nunca se arriesgue!) y ser impermeable al qué dirán, que nada quiere con el amor.
Pero todo esto no sirve de nada, si en esta selva oscura y desorientada no se supiese hallar a la amada -para vivir un gran amor.
Para viver um grande amor.
Para viver um grande amor, preciso é muita concentração e muito siso, muita seriedade e pouco riso — para viver um grande amor.
Para viver um grande amor, mister é ser um homem de uma só mulher; pois ser de muitas, poxa! é de colher… — não tem nenhum valor.
Para viver um grande amor, primeiro é preciso sagrar-se cavalheiro e ser de sua dama por inteiro — seja lá como for. Há que fazer do corpo uma morada onde clausure-se a mulher amada e postar-se de fora com uma espada — para viver um grande amor.
Para viver um grande amor, vos digo, é preciso atenção como o “velho amigo”, que porque é só vos quer sempre consigo para iludir o grande amor. É preciso muitíssimo cuidado com quem quer que não esteja apaixonado, pois quem não está, está sempre preparado pra chatear o grande amor.
Para viver um amor, na realidade, há que compenetrar-se da verdade de que não existe amor sem fidelidade — para viver um grande amor. Pois quem trai seu amor por vanidade é um desconhecedor da liberdade, dessa imensa, indizível liberdade que traz um só amor.
Para viver um grande amor, il faut além de fiel, ser bem conhecedor de arte culinária e de judô — para viver um grande amor.
Para viver um grande amor perfeito, não basta ser apenas bom sujeito; é preciso também ter muito peito — peito de remador. É preciso olhar sempre a bem-amada como a sua primeira namorada e sua viúva também, amortalhada no seu finado amor.
É muito necessário ter em vista um crédito de rosas no florista — muito mais, muito mais que na modista! — para aprazer ao grande amor. Pois do que o grande amor quer saber mesmo, é de amor, é de amor, de amor a esmo; depois, um tutuzinho com torresmo conta ponto a favor…
Conta ponto saber fazer coisinhas: ovos mexidos, camarões, sopinhas, molhos, strogonoffs — comidinhas para depois do amor. E o que há de melhor que ir pra cozinha e preparar com amor uma galinha com uma rica e gostosa farofinha, para o seu grande amor?
Para viver um grande amor é muito, muito importante viver sempre junto e até ser, se possível, um só defunto — pra não morrer de dor. É preciso um cuidado permanente não só com o corpo mas também com a mente, pois qualquer “baixo” seu, a amada sente — e esfria um pouco o amor. Há que ser bem cortês sem cortesia; doce e conciliador sem covardia; saber ganhar dinheiro com poesia — para viver um grande amor.
É preciso saber tomar uísque (com o mau bebedor nunca se arrisque!) e ser impermeável ao diz-que-diz-que — que não quer nada com o amor.
Mas tudo isso não adianta nada, se nesta selva oscura e desvairada não se souber achar a bem-amada — para viver um grande amor.
PARA VIVIR UN GRAN AMOR, de Vinicius de Morais,maestro.
Para vivir un gran amor, se necesita mucha concentración y mucha sensatez, mucha seriedad y y poca risa - para vivir un gran amor.
Para vivir un gran amor, es menester ser un hombre de una sola mujer; pues ser de muchas, ¡vaya! Eso es fácil… - No tiene mérito alguno.
Para vivir un gran amor, primero es preciso consagrarse caballero y entregarse a su dama por entero, no importa cómo sea.
Hay que convertir el cuerpo en una morada donde se encierre a la mujer amada y luego apostarse afuera con una espada- para vivir un gran amor.
Para vivir un gran amor, os cuento, es necesario prestar atención a los “viejos amigos”, que por querer acapararnos, pueden estropear el gran amor. Hay que tener muchísimo cuidado con cualquiera que no esté enamorado, pues quien no lo está, está siempre preparado para fastidiar el gran amor.
Para vivir un gran amor, en realidad, hay que convencerse de que la verdad es que no existe amor sin fidelidad - para vivir un gran amor.
Pues quien traiciona su amor por vanidad es un desconocedor de la libertad, de esa inmensa, indivisible libertad que trae un sólo amor.
Para vivir un gran amor, “il faut”, además de ser fiel, ser un buen conocedor del arte culinario y del judo -para vivir un gran amor.
Para vivir un gran amor perfecto, no basta sólo con ser un buen sujeto; es preciso también tener mucho pecho -pecho de remero. Es preciso mirar siempre a la persona amada como a la primera novia y a su viuda también, amortajada en su amor muerto.
Es muy necesario tener preparado crédito para rosas en el florista - ¡mucho, mucho más que en la modista! - para complacer al gran amor. Pues de lo que el gran amor quiere saber, es de amor, de amor sin medida; después, un tutuzinho com torresno*1 es un punto a favor…
También puntúa saber hacer cositas: huevos revueltos, gambas, sopitas, salsas, strogonoffs*2 - comiditas para después del amor. ¿Y qué hay mejor que ira a la cocina y preparar con amor una gallina con una rica y sabrosa farofinha*3 , para tu gran amor?
Para vivir un gran amor es muy, muy importante vivir siempre juntos y hasta ser, en lo posible,un solo difunto, para no morir de dolor. Es necesario un cuidado permanente, no sólo con el cuerpo sino también con la mente, pues cualquier bajón tuyo, la amada lo siente - y se enfría un poco el amor. Hay que ser muy cortés sin cortesía; dulce y conciliador sin cobardía; saber ganar dinero con poesía - para vivir un gran amor.
Es necesario saber beber whisky, (¡con un mal bebedor nunca se arriesgue!) y ser impermeable al qué dirán, que nada quiere con el amor.
Pero todo esto no sirve de nada, si en esta selva oscura y desorientada no se supiese hallar a la amada -para vivir un gran amor.
Para viver um grande amor.
Para viver um grande amor, preciso é muita concentração e muito siso, muita seriedade e pouco riso — para viver um grande amor.
Para viver um grande amor, mister é ser um homem de uma só mulher; pois ser de muitas, poxa! é de colher… — não tem nenhum valor.
Para viver um grande amor, primeiro é preciso sagrar-se cavalheiro e ser de sua dama por inteiro — seja lá como for. Há que fazer do corpo uma morada onde clausure-se a mulher amada e postar-se de fora com uma espada — para viver um grande amor.
Para viver um grande amor, vos digo, é preciso atenção como o “velho amigo”, que porque é só vos quer sempre consigo para iludir o grande amor. É preciso muitíssimo cuidado com quem quer que não esteja apaixonado, pois quem não está, está sempre preparado pra chatear o grande amor.
Para viver um amor, na realidade, há que compenetrar-se da verdade de que não existe amor sem fidelidade — para viver um grande amor. Pois quem trai seu amor por vanidade é um desconhecedor da liberdade, dessa imensa, indizível liberdade que traz um só amor.
Para viver um grande amor, il faut além de fiel, ser bem conhecedor de arte culinária e de judô — para viver um grande amor.
Para viver um grande amor perfeito, não basta ser apenas bom sujeito; é preciso também ter muito peito — peito de remador. É preciso olhar sempre a bem-amada como a sua primeira namorada e sua viúva também, amortalhada no seu finado amor.
É muito necessário ter em vista um crédito de rosas no florista — muito mais, muito mais que na modista! — para aprazer ao grande amor. Pois do que o grande amor quer saber mesmo, é de amor, é de amor, de amor a esmo; depois, um tutuzinho com torresmo conta ponto a favor…
Conta ponto saber fazer coisinhas: ovos mexidos, camarões, sopinhas, molhos, strogonoffs — comidinhas para depois do amor. E o que há de melhor que ir pra cozinha e preparar com amor uma galinha com uma rica e gostosa farofinha, para o seu grande amor?
Para viver um grande amor é muito, muito importante viver sempre junto e até ser, se possível, um só defunto — pra não morrer de dor. É preciso um cuidado permanente não só com o corpo mas também com a mente, pois qualquer “baixo” seu, a amada sente — e esfria um pouco o amor. Há que ser bem cortês sem cortesia; doce e conciliador sem covardia; saber ganhar dinheiro com poesia — para viver um grande amor.
É preciso saber tomar uísque (com o mau bebedor nunca se arrisque!) e ser impermeável ao diz-que-diz-que — que não quer nada com o amor.
Mas tudo isso não adianta nada, se nesta selva oscura e desvairada não se souber achar a bem-amada — para viver um grande amor.
v

4 comentarios:

L.A dijo...

para vivir un gran amor hay que amar y hay que vivir simplemente a lo grande. Eso es todo.
maurice es mi gran amor hasta el fin de los tiempos y en eso resumo todo.

L.A dijo...

gracias P por dedicarnos este poema, es muy bonito, por cierto.

Roberto Sergio Dib dijo...
Este comentario ha sido eliminado por el autor.
Roberto Sergio Dib dijo...

"O poeta não morreu. Foi ao inferno e voltou. Conheçeu os moinhos de vento e nos contou."

Perfeito